quarta-feira, 11 de Junho de 2014

Mais uma visita mais um amigo!

No mundo dos passarinhos conhecemos muitas pessoas e por vezes criamos amizades. Os interesses comuns ajudam a aproximar as pessoas. Já la vão um bom par de anos, tinha eu afixado a tabuleta "vendo canários" e bateu-me a porta o Paulo. Se não me falha a memória procurava uma fêmea. Conversa para a frente conversa para trás e o tema foi desembocar nos pintassilgos. Desde aí ficou a amizade e de vez em quando ele aparece para uma visita.

Hoje andava eu de volta dos pássaros ele ligou-me pois sabia que eu tenciono ficar só com pintassilgos e que queria ceder os canários. Um amigo dele o Vasco também criador de canários a mais de 20 anos tinha se dedicado aos travessos. Despachou os canarios que tinha ficou com 2 ou 3 fêmeas e um pintassilgo galador. O azar bateu-lhe a porta e perdeu o pintassilgo como estamos a meio da época ele precisava de 2 canários machos vieram cá e foram atendidos. Escolheram um macho de 2013 que por acaso não tinha anilha e levaram um macho de 2010.



sábado, 7 de Junho de 2014

Machos a cantar de mais!

Machos a cantar de mais que até me aborrece. Reduzi o numero de casais mas fiquei com alguns machos reprodutores ja com 2 ou 3 anos.



Se houver alguém interessado tenho disponíveis os seguintes machos:

Branco Recessivo anilha 048-2010
Branco Recessivo anilha 13-2010
Branco Recessivo anilha 4-2011
Branco Recessivo com penas melanicas numa asa anilha 20-2013

Qualquer duvida ou questão pf use os comentários ou envie email.

Obrigado


sexta-feira, 2 de Maio de 2014

Rastreio de doenças infecciosas em aves ornamentais.- Dr. Roberto Sargo

Workshop sobre Maneio de Aves Ornamentais

Vila Real, 15 de Março de 2014

Organização
Associação Ornitológica de Tras-os-Montes-e-Alto-Douro

Em parceria com a UTAD (Universidade de Trás-os-Montes-e-Alto-Douro)



Instalações, maneio e nutrição de aves ornamentais. Luis Sousa.



Workshop sobre Maneio de Aves Ornamentais

Vila Real, 15 de março de 2014

Organização Associação Ornitologica de Tras-os-Montes-e-Alto-Douro

Em parceria com a UTAD (Universidade de Trás-os-Montes-e-Alto-Douro)




Em resumo atrevo-me a citar o Ricardo M. "Primeiro instalações, segundo alimentação de qualidade, água de qualidade e cuidados adequados."

domingo, 27 de Abril de 2014

Clube Independente Ornitológico de Matosinhos

Decorreu na sede do Clube Independente Ornitológico de Matosinhos mais uma Assembleia Geral. Foi aprovado o relatório de contas com um saldo positivo fruto do bom trabalho e gestão da Direcção cessante. Felizmente não se confirmaram os rumores que o clube estava falido. Comparecerem 18 sócios de um universo de mais de 180 o que dá uma proporção de presenças de cerca de 10% de sócios participantes em Assembleias Gerais.

Terminado o mandato da Direcção houve eleições para o biénio 2014/2016.

A carolice a amizade  o gosto pelas aves são o motivo que faz andar a vida clubista. Horas furtadas a família, criticas injustas, contrariedades e mal entendidos, não são motivos suficientes para desistir. Admiro a tenacidade daqueles que se dedicam e fazem ou fizeram parte da direcção do CIOM.

Termino apresentando uma serie de imagens recolhidas durante esta AG. A sede do Clube Ornitológico de Matosinhos esta aberta aos domingos de manhã das 10 h às 12h30m.




domingo, 16 de Março de 2014

Workshop sobre Maneio de Aves Ornamentais‏ ATM/UTAD

 photo IMG_0668-001.jpg




Aprender requer esforço e disponibilidade... Foi o que fiz arrisquei sabendo que o meu carro não estaria nas melhores condições. Perto de Vila Real senti um barulho estranho e rezei para chegar ao meu destino.


À chegada liguei para o amigo Adalberto Ferreira vice-Presidente da Associação Ornitológica Trás Montes Alto Douro para me orientar e localizar o Hospital Veterinário da UTAD. O ambiente foi descontraído e acolhedor.

 photo IMG_0667.jpg

Os oradores sempre num tom coloquial e com disponibilidade para ouvir as duvidas ou interpelações dos presentes despertaram o interesse da plateia.


No tema: Instalações, maneio e nutrição de aves ornamentais apresentação a cargo do Dr. Luís Sousa, focou a questão de fazer um planeamento antecipado das instalações. Escolher os acessórios adequados a cada tipo de maneio. Por exemplo, muitos criadores queixam-se que os bebedouros automáticos tem a desvantagem de pingar. Referiu que existe um acessório próprio para apara as pingas. Outra questão foi que algumas frentes não se adaptam a dispensadores ou comedouros automáticos. Se isto não tiver sido planeado no inicio quando se quiser mudar para este tipo de acessório poderemos ter problemas... A importância dos registos internos de cada ave, para despiste de doenças pelo veterinário.

 photo IMG_0674.jpg



Biosegurança em instalações de cria de aves ornamentais - Dra. Joana Valente. O que é a biosegurança e para que serve. O porquê de fazer a quarentena, lavar as mãos antes e depois de tratar os pássaros. Usar correctamente os desinfectantes depois de fazer uma limpeza. Foram alguns dos temas abordados.
 photo IMG_0680.jpg

Rastreio de doenças infeciosas em aves ornamentais – Dr. Roberto Sargo. Como recolher as fezes para analisar no laboratório. Diferença entre mortalidade e morbilidade. O que é a pinta preta nas aves recém nascidas. O que fazer num surto de doença...

  photo IMG_0682.jpg



Agradeço publicamente a Associação Ornitológica Trás Montes Alto Douro e aos oradores Dr Luis Sousa, Dra. Joana Valente, Dr. Roberto Sargo e a direcção da UTAD a permissão de captação de imagem e som deste workshop.


Workshop UTAD photo IMG_0689-001.jpg


Valeu a pena pois cheguei a casa a saber "mais umas coisas" e com o carro em sofrimento, pois a chiadeira foi todo o caminho.


domingo, 26 de Janeiro de 2014

Arranque nova temporada

Neste domingo chuvoso e cinzento resolvi casalar os meus canários de cor. Francamente este ano corro um risco de obter ou aves boas e competitivas ou então médias tipo 88 pontos. A razão é que vendi os melhores brancos que tinha fiquei só com aves de trabalho.

Voltei as origens de empregar canárias amosaicadas amarelas. A vantagem é não deixar alargar muito a plumagem do canários brancos. No passado obtive bons resultados o único inconveniente é que os amosaicados filhotes são fracos e não servem para expor. Por outro lado arrisquei a cruzar brancos de pena larga com brancos de pena apertada. Espero obter deste acasalamento aves de plumagem intermédia.

Nos brancos o procuro obter a brancura ou luminosidade, uma plumagem média bem colada ao corpo e por ultimo uma boa forma do corpo e da cabeça.

Vamos ver se consigo alcançar estes objectivos e que os resultados desportivos comprovem...